ECOS - 2020 - Logo Final.jpg

Entre os dias 19 e 25 de julho de 2020, nossa cidade abrirá mais uma vez as portas para grandes profissionais do canto e cantores de todo Brasil. Temos o prazer de apresentar o III ECOS Limeira!

Será uma semana de workshops, masterclasses e prática de conjunto, voltados  ao canto, culminando em um grande concerto de encerramento onde todos os participantes poderão aplicar os elementos absorvidos e desenvolvidos durante toda a semana. 

Queremos trazer aos cantores de todo Brasil  uma nova e enriquecedora experiência, de forma acessível, com conteúdo de altíssima qualidade e uma chance única de aprimoramento técnico e vivência com a música.

Você não pode ficar de fora! 

 

PROFESSORES

FERNANDO PORTARI

WORKSHOP

VOZ E SOM: JOGOS LÚDICOS QUE BUSCAM SENSIBILIZAR OS SONS DA VOZ E AS VOZES DO SOM, SUAS ORIGENS E SEUS PROPÓSITOS

O Tenor Fernando Portari é um artista versátil que ao longo do tempo aliou a arte de seu canto à força de sua voz para tornar-se intérprete dos mais variados gêneros musicais. Artista internacionalmente reconhecido cantou no teatro Alla Scala de Milão as óperas Fausto e Romeo e Julieta e foi partner da soprano Anna Netrebko em Berlim sob a regência do maestro Daniel Barenboim em Manon de Massenet além de participações em shows , musicais , concertos , recitais trilhas sonoras de novelas e jingles comerciais .

Paralelamente à sua bem sucedida carreira como cantor abriu com sua sócia Rosane Barbosa a produtora Eté Produções Artísticas onde pesquisam e realizam espetáculos líricos . Neste momento realizam o projeto OPERA NOVA em parceria com o Clube Athletico Paulistano e o SESC SP onde propõem um espetáculo compacto fundamentado em um diálogo do canto com imagens cinematográficas criadas especialmente para cada espetáculo no qual se busca a possiblidade de levar essa arte fundamental a muitos públicos de uma forma simples , bela e com baixo custo . 

CRISTINE BELLO GUSE

WORKSHOP E MASTERCLASS

CANTOR-ATOR: CONTRIBUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO CÊNICO DOS

CANTORES LÍRICOS

Mezzo-soprano, doutora em Teoria e Praxis do Processo Criativo pelo curso de pós-graduação em música do Instituto de Artes da UNESP, mesma instituição em que realizou sua graduação em Bacharelado em Música - Instrumento Canto e mestrado em Práticas Interpretativas. Autora do livro O cantor-ator, um estudo sobre a atuação cênica do cantor na ópera, publicado pela editora da UNESP. Especializou-se em atuação cênica para cantores no Wesley Balk Opera/Music-Theater Institute em Minneapolis/EUA. Desde então, leciona regularmente cursos destinados a desenvolver a habilidade de integração vocal e cênica em jovens cantores interessados neste mercado de trabalho. Esteve presente como ministrante nas edições anteriores do ECOS Limeira de 2018 e 2019, trazendo sempre novidades em seus workshops. Em sua trajetória como cantora lírica atuou como solista nas produções de West Side Story, The Mikado, Forrobodó, The Pirates of Penzance e Die Dreigroschenoper junto ao grupo Núcleo Universitário de Ópera, e interpretou as personagens Melissa da ópera La Liberazzione di Ruggero dell’Isola d’Alcina, Maddalena de Rigoletto, Flora de La Traviata, The Sorceress de Dido and Aeneas em demais produções profissionais. Em 2010, atuou no papel-título da ópera Orfeo ed Eurídice de C. W. Gluck em produção realizado pela Associação Coral da Cidade de São Paulo, e em 2012, realizado pelo Núcleo de Ópera do Conservatório de Tatuí. No repertório sacro, atuou como solista em Stabat Mater de G. Pergolesi, Réquiem de W. A. Mozart, Cantata 29 de J. S. Bach, Beatus Vir e Gloria de A. Vivaldi, Missa Nelson de J. Haydn, Come ye sons of Art de H. Purcell e Oratório de Nöel de C. Saint-Säens. Também fez parte do ensemble da produção de Möeller & Botelho do musical A Noviça Rebelde durante a temporada em São Paulo de 2009.


Como diretora cênica dirigiu os espetáculos Bastião & Bastiana e L’Elisir d’amore respectivamente, em parceria com o maestro Cadmo Fausto,  junto ao Núcleo de Ópera do Conservatório de Tatuí; e a montagem da ópera  Dido e Enéias em parceria com o maestro Vinícius H. Ferreira junto ao Coro da OSLI e Orquestra Sinfônica de Limeira.


Como docente fez parte do colegiado de professores de canto lírico do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí nos anos de 2009 a 2018, instituição em que também exerceu a função de coordenadora da área de canto lírico e canto coral; e do colegiado da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” nos anos de 2014 a 2018. Atualmente, é professora adjunta da Universidade Federal de Pelotas/RS e nesta instituição coordena o grupo de pesquisa Performance Vocal.

EDNA D'OLIVEIRA

WORKSHOP E MASTERCLASS

CANTO: UMA CONEXÃO ENTRE CORPO,

MENTE E ESPÍRITO

Um dos mais importantes sopranos na cena lírica brasileira, aclamada por suas interpretações de Villa-Lobos, especialmente das Bachianas Brasileiras nº 5 e das Canções da Floresta do Amazonas e vem interpretando estas obras no Brasil e no festival Brazilian Classics do Arhst Center of Miami. Participou de especialização em Canto com Alex Ingram e Lionel Friend na English National Opera e Royal Academy em Londres.

Participou de vários festivais internacionais pela Europa, EUA, Argentina, Chile e Brasil. Solista de sucesso tem em seu  repertório operístico Rigoletto , A Flauta Mágica, Elisir d´Amore , O Empresário, Chapéu de Palha de Florença , O Morcego. Seus recentes triunfos foram Bess (Porgy and Bess) e o de Madalena (Andrea Chenier), Alice Fod (Falstaff), Micaela (Carmen), Cecy (Il Guarany), Vallenciene (Viúva Alegre). Seu repertório de música orquestral inclui a Petite Messe Solennelle (Rossini), Réquiem e as Missas em Dó menor e Da Coroação de Mozart, Carmina Burana, 5ª Sinfonia de Mahler e inúmeros outros títulos.

Participou de várias edições do Festival Amazonas de Ópera em Manaus e Belém do Pará.

Na Alemanha fez cursos de Lied e realizou concertos de Música Erudita Brasileira.

Gravou a Floresta do Amazonas com a Filarmônica de Minas Gerais e com a qual inaugurou a Sala Minas Gerais cantando a 5.sinfonia de Mahler. Vencedora do prêmio Carlos Gomes como a melhor cantora solista. Solista convidada nas temporadas de concertos sinfônicos com a OSESP e várias orquestras pelo Brasil. Professora de canto na Escola Municipal da Fundação do Theatro Municipal de São Paulo e Faculdade Cantareira. Convidada para aulas de canto e fisiologia da Voz em diversas universidades, incluindo USP, UNICAMP e outras.

Convidada pelo Atelier Chorale de Genebra, Suiça, para interpretar e gravar a Missa Crioula de Ariel Ramirez em Genebra em Maio de 2018 e realizou simultaneamente concertos de música brasileira na Alemanha. Com a Filarmônica de Minas Gerais foi solita da Petite Messe Solenelle de Rossini. Pelo Sesc e Sesi fez vários concertos de Música Negra e música afro Brasileira.

Faz simultaneamente à sua carreira artística, o curso de Bacharel em Fonoaudiologia e desenvolve um projeto de masterclass em todo o Brasil com enfoque na Técnica de Alexander e performance para palco para cantores líricos.

VINICIUS HENRIQUE FERREIRA

WORKSHOP

O FAZER E O SABER MUSICAL: ABORDAGENS SOBRE AS MULTIFACETAS DO FAZER MUSICAL ATRAVÉS DO CANTO / PRÁTICA DE CONJUNTO

Natural de Piracicaba, iniciou seus estudos aos 08 anos com violão erudito. Aos 16 anos passou a estudar violoncelo na Escola de Música de Piracicaba Dr. Ernst Mahle (EMPEM). Aos 18 anos deu continuidade aos estudos no Conservatório Dramático e Musical Carlos de Campos (CDMCC - Tatuí) cursando violoncelo. Em 2005 ingressou na turma de composição da Universidade de Campinas (UNICAMP) onde foi aluno de renomados compositores nacionais.


Compôs várias obras para diferentes formações, com destaque para o Concerto para trompete, apresentado pela Orquestra Sinfônica de Americana, a peça para trombone e piano, encomendada pelo trombonista Felipe Brito, sendo finalista na 5th Annual Latin American Music Recording Competition e a Suíte para Cordas e Oboé, encomendada para o 3º Encontro Internacional de Cordas de Limeira. Ainda como compositor, escreve música vocal para diversas formações. Como arranjador, desenvolve um sólido trabalho com seus coros e grupos vocais, transformando grandes clássicos da música em concertos à capela. Foi idealizador e regente do Coral ReUna de Piracicaba, apresentando em diversas cidades e encontros corais da região, com destaque para o Réquiem de Mozart com a Orquestra Sinfônica de Americana. Formou-se em Licenciatura em Música pela UNIMES (Santos). Foi professor de violoncelo no Projeto Guri - Pólo Piracicaba por 6 anos.

 

Já esteve à frente da Orquestra Sinfônica de Limeira e Coro da Osli para reger diversos concertos como o Glória de Antonio Vivaldi, a Paixão segundo São João de J. S. Bach, o Requiem de Brahms (versão de Londres) e a Cantata "Christ lag in Todesbanden" de J. S. Bach. Em 2019, regeu a grandiosa Dixit Dominus de Händel.

 

É idealizador, professor de prática de conjunto e regente do Festival ECOS Limeira, evento que trouxe centenas de inscritos de quase 20 cidades para workshops e masterclasses voltados para canto e canto coral.

Em 2019 foi preparador vocal e diretor da Ópera "O Mikado" e do Musical "O Corcunda de Notre Dame". Assina também a direção da Ópera "A Flauta Mágica" a ser realizada em maio deste ano. Atualmente é professor de Técnica Vocal, professor de Iniciação Coral do projeto Sons da Conquista, responsável pelo curso de Canto Coral da ELM - Limeira, Regente e Diretor Artístico do Coro da Osli e ELM e Regente do Coro Municipal de Águas de São Pedro.

WORKSHOPS, MASTERCLASSES E PRÁTICA DE CONJUNTO

 

WORKSHOP: FERNANDO PORTARI

VOZ E SOM: JOGOS LÚDICOS QUE BUSCAM SENSIBILIZAR

OS SONS DA VOZ E AS VOZES DO SOM, SUAS ORIGENS

E SEUS PROPÓSITOS

O som da voz é uma chave única para o ser humano se comunicar em suas complexidades existenciais . Não existe uma voz igual a outra e é essa voz íntima que através de jogos interativos buscaremos encontrar juntos.  É uma dinâmica onde está muito mais em jogo a busca de sua identidade como ser falante / cantante  do que o exercício direcionado ao cantar do repertório estabelecido . Ao criar esse ponto de contato com sua voz interior podemos descobrir tantas outras possibilidades de expressão através da voz.

WORKSHOP: CRISTINE BELLO GUSE

CANTOR-ATOR: CONTRIBUIÇÕES PARA O

DESENVOLVIMENTO CÊNICO DOS CANTORES LÍRICOS

Se pensarmos que toda performance vocal é de fato um ato cênico, independente do tipo de performance ou gênero artístico, podemos considerar todo cantor que tenha consciência dessa faceta de sua arte um cantor-ator. O repertório vocal em sua maioria une a linguagem musical à verbal, o que faz com que os cantores carreguem certa responsabilidade expressiva e comunicativa próxima àquela encontrada na categoria dos atores. Mesmo quando o repertório vocal não engloba qualquer conteúdo verbal, a própria figura do cantor já carrega responsabilidades cênicas a serem atendidas coerentemente à proposta da performance. No canto, os braços e mãos são independentes das estruturas físicas envolvidas na produção sonora, estando livres para realizar uma série de possibilidades expressivas, que podem contribuir ou interferir na comunicabilidade da sua performance. Sendo assim, ter a consciência de como todo o aparato artístico funciona em prol da sua expressividade, e da interdependência existente entre as partes desse aparato artístico (corpo, voz, rosto), torna-se uma necessidade a ser desenvolvida na formação dos jovens cantores que almejam atuar profissionalmente.

 

O workshop pretende oportunizar uma vivência direcionada à construção da autopercepção e autoconhecimento relativo ao uso cooperativo e assertivo dos recursos expressivos do cantor – corpo, voz e rosto. Almeja-se levar os participantes a compreenderem melhor as relações existentes entre esses recursos expressivos, a coordenação necessária para a utilização destes de forma integrada sem que a ação de um interfira negativamente na ação de outro, e como utiliza-los de forma consciente na construção da expressividade da performance. Conteúdos relativos à técnica vocal (respiração, fonação e articulação), ao alinhamento e prontidão corporal, à noção espacial de deslocamento e movimentação física, à percepção musical, à interpretação poética e musical são utilizados em práticas lúdicas e processos criativos de forma a alcançar os objetivos apontados acima. Além de exercitar estes conteúdos proporcionando ao participante um autoestudo de como ocorre a inter-relação dos seus recursos expressivos, os jogos cênicos-musicais utilizados neste workshop proporcionam um espaço para que o cantor exerça tomadas de decisões interpretativas no aqui-agora. Com isso, os jogos ainda exercitam a atenção do cantor a se manter no tempo presente, na interação coletiva e na adaptação ao imprevisível, redespertando suas energias pessoais criativas de forma a conjugarem-se à suas responsabilidades de performer.

WORKSHOP: EDNA D'OLIVEIRA

CANTO: UMA CONEXÃO ENTRE CORPO, MENTE E ESPÍRITO

A noção da grande corrente do Ser é a noção central da filosofia perene, onde nós ocidentais chamamos de “matéria” o nosso corpo, o inanimado e não-consciente. Em outra extremidade encontra-se o “Espírito” ou “divindade” ou “supra-consciente”. Em algumas vertentes o “Ser” se apresenta como tendo três níveis principais: Corpo, mente e espírito. Outras nos dão cinco níveis: matéria, corpo, mente, alma e espírito. Em qualquer uma dessas linhas a ideia principal é a hierarquia, onde cada nível é subordinado ao antecessor.

Se o canto é o resultado das múltiplas técnicas que envolvem o corpo, cobertas ou recheadas de emoções da alma e do espírito, não há como não fazer associações do resultado com o “ser” individual nos diversos aspectos dos níveis que o compõe, ou seja o cantor carrega em si e na voz, no nosso caso, cargas emocionais e afetivas que irão influenciar no resultado final do seu canto.

Como vencer as barreiras que nos impedem emocionalmente de avançarmos?

Quais são as técnicas disponíveis, que não exercem influência religiosa na sua aplicação. Caso houver, como enxergar o melhor caminho?

Existem zonas sensíveis ou pouco sensíveis no nosso corpo que influenciam na frequência harmônica do meu canto?

É possível o indivíduo evoluir apenas fisicamente no canto?

De que maneira o aspecto psíquico influencia meu canto?

Há caminhos seguros?

 

Tais questionamentos poderão ser mais claros e menos obscuros na descoberta de técnicas seguras, embasadas e comprovada pela ciência.

Primeira parte - manhã:

Apresentação dos temas:

 

1 – Fisiologia da Voz

2 – Homeostase vocal

3 – A arte da Respiração

4 – Tipos de terapias Holísticas

5 – Consciência dos níveis que envolvem o “Ser Cantor”

6 – Dinâmica

Segunda parte - tarde:

 

Aplicação da dinâmica no canto com trabalho técnico e vocal com o grupo e pessoas selecionadas.

WORKSHOP: VINICIUS H. FERREIRA

O FAZER E O SABER MUSICAL: ABORDAGENS SOBRE AS MULTIFACETAS DO FAZER MUSICAL ATRAVÉS DO CANTO / PRÁTICA DE CONJUNTO 

 

O que te faz como cantor? O que você transmite através de seu canto?

Ao fazer música, quem canta transmite muito mais do que a técnica pura. É o conjunto de suas vivências, trocas, memórias musicais e afetivas e daquilo que te configura como pessoa que se unem ao fazer musical. A esse conjunto podemos chamar de Saber Musical.

Neste workshop serão experienciados esses saberes em prol do fazer música, através de jogos, exercícios e experimentações que permitam melhor conhecer o próprio corpo e seus ajustes, bem como o reconhecimento do outro e das possibilidade de união, sinergia, troca, ressonância etc.

A prática de conjunto visa a aplicação prática dos elementos absorvidos e desenvolvidos na semana do ECOS e a integração dos participantes permitindo crescimento e maior imersão em ensaios diários, culminando em um grande concerto de encerramento.

GIOVANA CERANTO

PIANISTA COLABORADORA

Natural de Botucatu (SP), é formada em piano e cravo pelo Conservatório de Tatuí, onde também estudou fortepiano, foi aluna de Zoraide Mazzulli Nunes, Fúlvio Ferrari, Maria Eugênia Sacco e Pedro Persone (Historically Informed Performance). Foi pianista, cravista e solista da Orquestra Sinfônica Jovem do Conservatório de Tatuí e do Ensemble de Performance Histórica. Participou de diversas masterclasses, dentre elas: de Alexandre Dossin (BRA/USA), Sérgio Gallo (BRA/USA), Fabio Ferrucci (ITA), Marco Farolfi (ITA), Jacques Ogg (NED) e de festivais e workshops, como IX a XIII Semanas do Cravo da EM/UFRJ, sob coordenação de Marcelo Fagerlande, Festival “Música nas Montanhas” em Poços de Caldas - MG (2012 e 2013), FEMUSC 2014, 2015 e 2018 em Jaraguá do Sul – SC, Festival Fiato al Brasile 2018 (ITA) e Oregon Piano Summer Festival 2017 e 2019 (USA). Foi pianista e cravista correpetidora de diversas produções de ópera, dentre elas: Dido and Eneas, La Serva Padrona, Bastien und Bastienne, Don Giovanni, La Traviatta, L’elisir d’Amore, Tosca, Cavalleria Rusticana e The Mikado, sob regências de Claudio Cruz, Artur Soares, Rubens Russomano Ricciardi, Vinicius Henrique Ferreira, Rodrigo Muller e Diego Lago. Músico-convidado da Orquestra Sinfônica de Limeira, do Coro da OSLI, e da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, foi solista pela série “Ciclo Bach”, em parceira com o SESC, e pela série “Concertos Internacionais” no Theatro Pedro II, ambas sob regência de Reginaldo Nascimento. É formada em piano na classe de Fernando Corvisier pelo Departamento de Música da FFCLRP-USP, onde foi ganhadora do Prêmio “Olivier Toni” por ter sido a aluna de maior destaque artístico. Dentre suas atividades uspianas, foi cravista da Oficina Experimental, sob regência de Sílvia Berg, e bolsista da USP-Filarmônica sob regência de Rubens Russomano Ricciardi. Trabalhou como pianista correpetidora do Coro Adulto da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto e do Coro de Câmara de 2017 a 2019. Além de atuar como solista, camerista e continuísta em diversas formações, com repertórios que abrangem desde a Música Antiga à Contemporânea e Brasileira.

Atualmente reside em Faenza - Italia. 

 

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

19 de julho                                                         

13:00 às 17:00 – Credenciamento e retirada de material (Palacete Levy)

20:00 - Concerto de Abertura (Igreja da Boa Morte)

20 de julho (Palacete Levy)

10:00 – Prática de conjunto com Vinicius H. Ferreira

12:00 – Intervalo para almoço

13:30 – Workshop com Fernando Portari

16:00 – Coffee Break

16:30 – Retorno ao workshop

19:00 – Encerramento do workshop

19:15 – Recital ECOS

21 de julho (Palacete Levy)

10:00 – Prática de conjunto com Vinicius H. Ferreira

12:00 – Intervalo para almoço

13:30 – Masterclass com Fernando Portari

16:00 – Coffee Break

16:30 – Retorno ao masterclass

19:00 – Encerramento do masterclass

19:15 – Recital ECOS

22 de julho (Palacete Levy)

10:00 – Prática de conjunto com Vinicius H. Ferreira

12:00 – Intervalo para almoço

13:30 – Workshop com Vinicius H. Ferreira

16:00 – Coffee Break

16:30 – Retorno ao workshop

19:00 – Encerramento do workshop

19:15 – Recital ECOS

 

23 de julho (Palacete Levy)

10:00 - Prática de conjunto com Vinicius H. Ferreira

12:00 – Intervalo para almoço

13:30 – Workshop com Cristine Bello Guse

16:00 – Coffee Break

16:30 – Retorno ao workshop

19:00 – Encerramento do workshop

19:10 – Recital Ecos

24 de julho (Palacete Levy)

10:00 – Workshop com Edna D’Oliveira

12:00 – Intervalo para almoço

13:30 – Workshop com Edna D’Oliveira

16:00 – Coffee Break

16:30 – Retorno ao workshop

19:00 – Encerramento do workshop

19:10 – Recital Ecos

25 de julho (Igreja da Boa Morte)

10:30 – Passagem de som

18:00 – Entrega dos certificados

20:00 – Concerto de encerramento

 

ESTRUTURA

O ECOS Limeira ocorrerá no Palacete Levy, prédio histórico, situado no centro da cidade, a 900 metros da Rodoviária e fácil acesso a transporte.

Os concertos de abertura e encerramento acontecerão na Igreja da Boa Morte, prédio também histórico, localizado à frente do Palacete Levy;

A Prefeitura de Limeira, em parceria com o ECOS, oferece alojamento para todos os participantes interessados, a 1,3 Km do local do encontro, em escola pública, com banheiro e chuveiro. Aqueles que desejarem utilizar-se do alojamento deverão trazer colchão, travesseiro e roupa de cama;

A cidade conta com várias linhas de ônibus com fácil acesso ao local do Encontro, que fica a 800m da Rodoviária de Limeira. O município ainda conta com serviço de Uber, 99, taxi e mototaxi.